Cheguei a Cidade do Cabo, depois de conhecer o Parque Nacional Kruger, no nordeste do país, e de passar três dias incríveis entre os animais.

(ver Post https://turistasemfronteiras.wordpress.com/2011/07/01/falo-da-africa-e-de-alegrias-preciosas/)

A cada saída, um encontro diferente, um momento único, que apenas me fez querer conhecer outros parques, outras áreas protegidas, onde a natureza ainda consegue ser ela mesma, sem a interferência humana.

Conhecida como a “Cidade Mãe” é uma das mais belas cidades do país e do mundo, e a capital legislativa da África do Sul. Foi fundada pelos holandeses em 1652 e tornou-se uma possessão britânica em 1814. A população, de 1,3 milhões de habitantes, é formada principalmente por nativos africanos e descendentes de holandeses e britânicos.

A Cidade do Cabo situa-se aos pés da Table Mountain, cercada por uma baía, o que confere a cidade um ar e um clima mediterrâneos.

Waterfront e Table Mountain

De uma maneira geral, Cape Town se assemelha muito a cidade do Rio de Janeiro. Cerca de belas montanhas e pelo mar, com prédios e elevados urbanos, além de um grande porto comercial. A poucos meses da Copa do Mundo de 2010, as obras estavam a pleno vapor e o estádio ainda estava em construção.

No primeiro dia fomos conhecer a área central da cidade, até a região do Victoria & Alfred Waterfront – uma enorme área de entretenimento, perto do porto. É muito popular entre turistas, devido à alta densidade de lojas, restaurantes e entretenimentos, como o Aquário e passeios de barco. As saídas para visitas à Ilha Robben partem daqui todos os dias. È uma bela região, com incríveis vistas da Table Mountain, do cais e da vida marinha. Focas e lobos marinhos são comuns por aqui.

Waterfront

A Ilha de Robben é um patrimônio mundial perto da costa da cidade. Na Ilha fica a prisão em que os prisioneiros políticos eram mantidos durante o apartheid, incluindo Nelson Mandela. Existem visitas várias vezes ao dia, sete dias por semana, e os bilhetes podem ser comprados online ou no dia antes do dia em que a visita vai ser realizada.

Ilha Robben

O aquário, localizado próximo a Waterfront, é uma das maiores atrações turísticas da cidade, e mostra a diversidade extraordinária da vida marinha dos Oceanos Pacífico e Atlântico, incluindo tubarões, peixes, tartarugas e pingüins.

Existem diversos passeios a se fazer próximos a cidade. Dependendo do tempo, pode-se mergulhar ou surfar em suas belas praias, fazer um safári, ver pingüins ou mergulhar com tubarões brancos. Um dos passeios imperdíveis fica a 50 km da cidade, o Cabo da Boa Esperança. Ponto de encontro das águas do oceano atlântico e pacífico era ponto estratégico para as rotas comerciais européias ao extremo oriente. Com a tomada de Constantinopla pelos Otomanos em 1452, era fundamental encontrar outro caminho para as Índias. O navegador português Bartolomeu Dias foi o primeiro europeu a contorná-lo, em 1488. Foi batizado de Cabo da Boa Esperança, pois finalmente o caminho para a Índia pelos oceanos havia sido encontrado.

Cabo da Boa Esperança

Para se chegar lá o ideal é contratar um carro com guia local, pois além de se aproveitar a viagem, vai se aprendendo muito sobre o país. Passamos pela praia de Camps Bay, emoldurada pela cadeia de montanhas dos doze apóstolos e pela Simon’s Town, indo até a colônia de pingüins africanos em Boulders Beach. Dezenas de pingüins fazem ninhos no local e o cenário é lindo.

Camps Bay e Doze Apóstolos

Bolders beach

Chegamos ao Parque Nacional do Cabo até o encontro dos Oceanos. A beleza do local, inóspito e isolado, nos faz pensar nas dificuldades das travessias oceânicas. Há um farol, e uma vista incrível lá de cima, das águas de cor turquesa e do Cabo da Boa Esperança.

Cabo da Boa Esperança

Na volta passamos pelo Jardim Botânico de Kirstenbosch  com sua enorme diversidade de plantas e flores da flora do Cabo num dos mais espantosos jardins botânicos do mundo. Plantas de toda a África do Sul podem ser vistas neste jardim botânico. Numerosos caminhos percorrem o jardim, por traz da Montanha de Mesa. Nos jardins existem também vários restaurantes e uma loja de presentes.

Jardim Botânico

Outro passeio imperdível é ir de teleférico para o topo da Table Mountain – (aberto das 8:00h às 22:00h; último teleférico para baixo às 21:00h). Leve água, protetor solar, um chapéu e um casaco. O clima muda muito lá em cima em função da localização e altitude (cerca de 1000 metros). Em dias abertos, é possível ter uma visão de 360 graus, da Cidade do Cabo, as principais montanhas e praias, até o Cabo.

Vista do topo da Table Mountain

Impossível não pensar em Mandela, estando na Cidade do Cabo. Além de imagens, bustos, e no coração de seu povo, Madiba, como é conhecido pelo seu nome de seu clã Xhosa conseguiu um feito extraordinário. Após 27 anos de prisão, não saiu de lá com rancor ou com sentimento de vingança. Venceu as primeiras eleições presidenciais em uma África do Sul livre, e conseguiu iniciar a união de um país, não mas entre brancos e negros, mas todos sul africanos.

Mais dicas em:

http://wikitravel.org/pt/Cidade_do_Cabo

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cidade_do_Cabo

Anúncios