Saimos pela manhã cedo em direção a região de Chianti, famosa pelos seus vinhos e suas paisagens. Antes porém, iríamos fazer uma breve parada em uma localidade chamada Monteriggioni, um belo castelo medieval no caminho.

Monteriggioni

A chegada foi surpreendente. Era realmente uma antiga cidade fortificada, com cerca de 3.000 habitantes. Deixamos o carro do lado de fora, e passamos pela entrada da fortaleza e nos deparamos com uma bela cidade de pedras, com vielas, casas, pequenos restaurantes, lojinhas e fontes. Ao largo da fortaleza, exite uma escadaria que dá acesso a uma passarela, onde é possível se chegar a altura da muralha e ter uma bela vista da cidade e da região, com seus belos campos de trigo.

interior da cidade

Dentro da cidade, além de ser possível uma hospedagem rústica, existe também um pequeno museu de armas e armaduras medievais bem interessante.

pelas muralhas de Monteriggioni

Seguimos pelas estradas no interior da Toscana, em direção ao coração do vale de Chianti, a localidade de Greve. Com cerca de 13.000 habitantes, se situa a cerca de 35 km ao sul de Florença, e a 40 km ao norte de Siena, pela pitoreca estrada SR222, conhecida como a Chiantigiana.

vale de Chianti

Até chegarmos a ela, passamos por pequenas cidades, lugarejos e vinhedos, que lembram muito o vale de Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul. Paramos em algumas vinículas familiares pelo caminho, e aprecisamos ainda mais o sabor da Toscana. Chegamos a Greeve a tempo de um pequeno lanche, e uma visita a um centro de degustação de vinhos e azeites da região.

degustação de azeites

Este centro fica ao lado de uma praça em formato triangular, com vários pórticos e estruturas medievais, onde acontece feiras e mercados familiares da região.

Greve - Chianti

Greve - Chianti

E assim, passou lentamente o dia, sob o sol da Toscana, até chegarmos a cidade de Cortona no final da tarde. Cortona fica na porção leste da Toscana, próxima a cidade de Arezzo e tem cerca de 22.000 habitantes.

Cortona vista do alto da colina

É uma das cidades mais antigas da Itália, e ainda tem ruinas hoje que remontam a seu passado etrusco pré-romano de 3.000 anos. A porção central e antiga da cidade, próximo a Piazza della Republica possui alguns hotéis , lojas e restaurantes. É o local ideal para se ficar e relaxar em um fim de tarde.

centro Cortona

Na piazza existe o prédio da prefeitura e o relógio na torre, que datam do século XII. O Duomo de Cortona possui arquitetura do século XI, e diversos afrescos da renascensa italiana em seu interior. As muralhas etruscas da cidade, e suas antigas ruelas são um belo exemplo da arquitetura e do passdos italianos, e com a vista do alto da colina onde fica situada, Cortona acaba se tornando um dos destinos mais procurados na região.

http://www.comune.greve-in-chianti.fi.it/