No segundo dia de viagem a Rússia, estaríamos por conta própria e resolvemos passar o dia na região central da Praça Vermelha, que conta com vários atrativos: a própria Praça Vermelha, o Túmulo de Lênin, o Kremlin, a Catedral de São Basílico, o Shopping Gum e o Museu Histórico Nacional.

A Praça Vermelha já foi palco de passeatas, execuções, desfiles militares soviéticos, e manifestações comunistas. Seu nome em russo – Krasnaya Ploschad – tanto pode significar vermelha ou bela, o que é uma grande verdade.

Catedral de São Basílico

A atração mais conhecida da Praça, a Catedral de São Basílico (Собор Василия Блаженногo)  é realmente impressionante. Como Paris tem a Torre Eiffel, e NYC tem a Estátua da Liberdade, Moscou tem esta belíssima e incomparável catedral. De todos os ângulos, sua beleza inspira fotos.

Catedral de São Basílico e Kremlin a direita

Suas cúpulas coloridas, o gelo em sua volta, realmente torna a sua imagem a mais marcante característica da cidade. Construída entre 1555 e 1561 por Ivan, o Terrível, para comemorar a reconquista da cidade dos tártaros. Diz a lenda que ele mandou cegar o arquiteto da construção, para que ela permanecesse única em sua beleza.

Ficheiro:Vasilij Blazh.jpg

Cartão Postal do inicio do século XX, pré revolução comunista

Depois de visitar o interior da catedral, caminhamos pela Praça Vermelha, olhando a esquerda toda a enorme muralha do Kremlin. À direita, o Shopping Gum, e suas lojas de grife mostrando que o capitalismo realmente chegou por lá. Além disso, uma entrada vale a pena nem que seja apenas para ver a sua bela arquitetura interna. É possível também hoje ir ao Mc Donald´s na Praça Vermelha….

Shopping Gum e seu interior repleto de lojas de grife

Bem próximo a metade da enorme praça, e ao lado da muralha, fica o mausoléu onde os restos mortais de Lênin, Stalin Gagárin e outros líderes soviéticos repousam. No caso de Lênin, seu corpo foi embalsamado logo após a sua morte, e até hoje se apresenta em excelente estado, sendo constantemente cuidado para isso. Infelizmente quando estive por lá estava fechado para visitação, mas dizem que a visão impressiona.

Mausoléu de Lênin na Praça Vermelha

Bem em frente, do outro lado da praça, fica o Museu Histórico Nacional. Com uma belíssima arquitetura, tem em seu interior acervo da história da Rússia. Todo o complexo na Praça Vermelha é fascinante, e talvez junto com Istambul, uma das mais belas do mundo.

caminhando em direção a rua Arbat

No final da tarde caminhamos em direção a rua Arbat, uma rua de pedestres famosa com cerca de 1 km de extensão. É uma das ruas mais antigas da capital, e é cheia de restaurantes, cafés e lojas de artesanato russo. É possível chegar até ela caminhando desde a Praça Vermelha, contornando a parede norte do Kremlin e passando pela entrada de veículos por onde entram as autoridades, incluindo o Presidente Medvedev e o Primeiro Ministro Putin. ( hoje ao contrário…)

Lanchonete na rua Arbat

Na rua Arbat é possível comprar vários tipos de artesanato russo, incluindo representações das catedrais, roupas antigas, e as famosas bonecas matrioskas (matruscas), em todos os tamanhos e formatos.

Bonecas Matruskas

Ao final da tarde, voltamos para o hotel utilizando sempre o metrô. Em Moscou, as estações de metrô são uma atração à parte, principalmente no seu trecho central. As estações são muito antigas, tendo sido inaugurado em 1935. Tem 185 estações em 12 linhas, sendo o sexto maior do mundo com 305 km de extensão total.

Metro em Moscou

As estações centrais são ricamente decoradas tendo sido inauguradas no período de Stálin, e no auge do fervor soviético. Cada estação tem uma beleza ímpar, e é impossível ás vezes não se espantar com a riqueza de detalhes.

mais uma das belas estações

Existem excursões guiadas na capital apenas para conhecer as estações mais belas.

No próximo dia, visitaremos o Kremlin, e pegaremos o trem em direção a capital dos Czares, São Petersburgo.