Glacier Express e suas janelas panorãmicas

Chegamos a Zermatt no início da tarde, pelo trem panorâmico Glacier Express, com suas largas janelas. Foi possível ver todos os pequenos povoados que aqui e ali salpicavam as montanhas, que cada vez ficavam mais altas em direção a fronteira da Suíça com a Itália.  Situada no distrito de Visp, com uma população de cerca de 6.000 habitantes, fica na região de predominância germânica na Suíça, e a maior parte de seus habitantes falam alemão. Situada a uma altitude média de 1650 mts, fica a apenas 10 km de distância da passagem Theodul com 3291 mts de altura, sobre os alpes em direção a Itália.

a pequena e bucólica Zermatt –  a direita um dos transportes motorizados a eletricidade da cidade

Zermatt é muito famosa entre os montanhistas e alpinistas, além de amantes da natureza e esportes de inverno. A região é cercada pelas maiores montanhas dos alpes, entre elas o Monte Rosa (4634 mts de altura, o maior da Suíça) e o belo Matterhorn (com 4.478 mts), que domina a paisagem da cidade, e é um dos cartões postais do país.

Descemos da estação de trem e fui logo procurar um hotel para ficarmos. Após algum sobe e desce pela bela cidade, descobri que não existem carros, apenas bicicletas e pequenos veículos motores de transporte. Na verdade, não há estrada que chegue a cidade. Encantadora…

Museu Matterhorn – um pouco da história da região e das montanhas

Encontrei um hotel com um bom preço, depois de alguma tentativa de falar algo entre o inglês e o alemão. E além do bom preço, o quarto possuía uma pequena sacada que dava uma fantástica vista do Matterhorn.

o cume do Matterhorn visto da sacada do hotel

Um dos melhores passeios turísticos a fazer na cidade, além de relaxar e apreciar aquela atmosfera alpina, é subir de teleférico até o Klein Matterhorn, a 3.883 metros de altura. A subida já é linda, onde podemos ver a cidade se afastando, passando por cima de belas casas, e do outro lado as montanhas e a neve cada vez mais próximos.

teleférico chegando ao topo do Klein Matterhorn

Mudamos de teleférico em direção ao ponto mais alto e chegamos ao final, no colo entre as montanhas Breithorn e o Matterhorn. Para todas as direções havia vistas fantásticas, e o Matterhorn conseguia ficar ainda mais imponente e belo tão próximo.

Klein Matterhorn

É possível também ali cruzar a fronteira a Itália, pelo teleférico Cervina. Ficamos pouco mais de uma hora ali em cima, respirando um pouco daquele belo lugar, aquecidos por um bom chocolate quente.

o Matterhorn entre as nuvens

No outro dia pela manhã pegamos o trem da linha Gornergratbahn, a mais alta linha de trem em toda a Europa. Saindo do centro da cidade, fomos marginando as montanhas, passando por paisagens silvestres entre árvores e casas. A cada minuto que subíamos mais e mais neve aparecia a cada momento, até que a paisagem ficou praticamente alpina, com montanhas nevadas por todos os lados.

linha Gornergratbahn – quase na estação final

Algumas marmotas teimavam em procurar comida por ali, remexendo no pouco de arbustos e grama ainda descobertos. Ao final da linha, chegamos a estação Gornergrat, situada a 3.089 metros de altura.

Estação Gornergrat – ao fundo hotel e observatórios

Descendo do trem, subimos por uma pequena trilha em direção a um belo e incrível hotel, o mais alta da Europa pensei. Ali também existe uma estação meteorológica e astronômica. Com mais uma caneca de chocolate quente, fomos caminhando pela trilha em direção ao ponto mais alto, onde uma vista de todo o vale era possível. Montanhas e mais montanhas, geleiras, o Monte Rosa e o Matterhorn. Para o outro lado era possível avistar até o Mont Blanc próximo a Chamonix. Um dos lugares mais belos que já estive.

mar de montanhas nos alpes suiços

Ao entardecer descemos para a cidade. Caminhar pelas ruas, se apaixonar pelas lojas de artesanato e comer uma boa comida alemã é a escolha ideal para a última noite. Caminhando pela rua principal e olhando as cores do sol mudando a face do Matterhorn, pensei que a Suíça talvez fosse o lugar mais belo do mundo.

fim de tarde em Zermatt – cume do Matterhorn no alto a direita

No próximo dia continuaremos de trem, em direção a St. Moritz e Lugano, com o Bernina Express em direção a Itália.

Anúncios