Roma é uma cidade para se conhecer andando por suas ruas. Ainda que exista a opção de se pegar um ônibus ou o metrô, deixe-os apenas para passeios mais distantes, como o Vaticano ou ao Parque Villa Borghese. Fora estes, caminhe pelas ruas e saboreie o espírito de vida dos italianos. Coma uma salada ou uma pizza com uma boa taça de vinho em uma das praças da cidade e veja o dia passar tranquilamente a sua frente.

mapa turístico de Roma

Com um mapa da cidade fica muito fácil escolher um trajeto que inclua para seu dia turístico dezenas de monumentos ou sítios históricos. Saindo da região do Fórum Romano, ainda pela Via del Fori Imperiali, podemos seguir um caminho que nos levará diretamente ao Panteon e a Fontana de Trevi.

A Fontana de Trevi é a maior construção de fontes barrocas da Itália (26 metros de altura por 20 de largura). O aqueduto existente desde os tempos do Império, foi reformado por Bernini em 1629, mas apenas em 1751 ficou finalmente pronta com vários adornos e a estátua de Netuno no centro. O nome da fonte é devido ao cruzamento na antiguidade de três ruas no local do aqueduto – trivium em latim.

A bela Fontana de Trevi

É um dos locais mais bonitos e visitados da cidade, onde além de saborear um gelatto, é costume dos turistas jogar uma moeda de costas para a fonte para garantir um retorno a cidade.

Andando em direção a Piazza Navona, passamos primeiro pelo edifício da época romana em mais perfeito estado de conservação: O Panteon de Roma ou Panteão de Agripa.

A entrada do Panteão de Roma – acima lê-se o nome de Agripa

Construído em 27 A.C., durante a república romana durante o terceiro consulado de Marco Agripa, foi primeiro utilizado como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. É famoso pela sua cúpula e pela beleza do seu interior.  O interior do teto é abobadado, sob uma cúpula que apresenta alvéolos no interior, em direcção a um óculo que se abre para o zénite. Os alvéolos foram pensados para manter a estrutura possível de ser executada e mais leve.

O interior do Panteão – toda a riqueza de mármores no piso e fachadas preservados

Desde o Renascimento que o Panteão é utilizado como última morada de personalidades italianas ilustres, como os pintores Rafael e dois reis de Itália: Vítor Emanuel II e Humberto I.

Esquemática do Panteão

É muito difícil captar uma imagem com a sua beleza interior, que consiga no mesmo quadro o óculo da abóbada e o piso. Consegui esta com uma busca na internet, que dá uma bela visão do que estou tentando descrever:

Interior do Panteão de Roma – http://www.danheller.com

No próximo e último post sobre Roma, visitaremos diversos outros locais que valem a pena conhecer na capital. Fiquei 5 dias na cidade e foi pouco para conhecê-la em toda a sua riqueza de detalhes. Continue com turistasemfronteiras!